Você está na cidade de:

Inf Peças

ADULTÉRIO INVOLUNTÁRIO

A peça conta a história da advogada Eva que, ao voltar para casa depois de um dia no tribunal, é surpreendida pela confissão de seu marido, Albano, sobre o assassinato de seu melhor amigo. De malentendido em mal-entendido, Cris, a viúva, se junta ao casal e as situações se desenrolam deixando o espectador perplexo, curioso e animado. Os personagens se envolvem em situações hilárias e absurdas, e o público não consegue mais escolher entre a gravidade da situação e o riso solto, “é possível rir de nossas mazelas e mentiras. Vivemos o tempo do discurso público, mas assumimos outro discurso na vida privada”, reflete Andreato. Com um enredo intrigante e diálogos afiados, "Adultério Involuntário" traz a mistura do gênero cômico com o suspense policial.

de 23/02/2024 à 14/04/2024 à partir de R$ 40 Encerrada
  • Sexta20
  • Sábado20
  • Domingo18
Teatro Eva Herz Classificação: 12

GOSTAVA MAIS DOS PAIS

Os atores interpretam cerca de dez personagens e várias versões de si mesmos numa série de esquetes que entrecruzam as suas histórias de vida com temas contemporâneos, como as barreiras impostas ao humor e a dificuldade de encontrar os seus lugares na era digital, a cultura do cancelamento, a instantaneidade das viralizações e as fake news.

de 01/03/2024 à 14/04/2024 90 min à partir de R$ 40 Encerrada
  • Sexta20
  • Sábado20
  • Domingo17
Teatro Porto Seguro Classificação: 14

ÓRION OU UM QUASE MONÓLOGO SOBRE A ANSIEDADE

Nesta peça, um homem sem carisma e sua psiquiatra caminham juntos por pensamentos obsessivos e pelos labirintos da ansiedade patológica para, através de humor e de desespero ácidos, tentar responder a questões fundamentais da sociedade contemporânea: burrice institucional, harmonização facial e, claro, a vida secreta dos cachorros.

de 07/04/2024 à 14/04/2024 76 min à partir de R$ 30 Encerrada
  • Domingo19h30
Teatro Commune Classificação: 14

ANTES DO PRESENTE

Em cena, seis intérpretes, de diferentes idades – Dawn Fleming, Ederson Lopes, Fany Froberville, Hiro Okita, Leandro Antonio e a própria Mirtes Calheiros – deixam vestígios no palco, utilizando terra, areia e objetos, criando uma atmosfera misteriosa e poética. Lacunas, vestígios e vazios, buscam traduzir no corpo uma ideia de temporalidade fluida onde os tempos são borrados e as fronteiras e territórios revelem delimitações flexíveis.

de 29/03/2024 à 14/04/2024 60 min Gratuito Encerrada
  • Sexta19h
  • Sábado19h
  • Domingo18h
Funarte SP Classificação: 12

DIÁRIO DE PILAR NA AMAZÔNIA

Preocupados com o desmatamento e a destruição da floresta, a menina Pilar, seu amigo Breno e o gato Samba se transportam para a Amazônia onde, ao lado da indígena Maiara, enfrentam um perigoso grupo de madeireiros que depreda sem dó a floresta traficando madeira rio abaixo. Navegando pelos rios Amazonas, Solimões, Negro e Tapajós, os amigos têm encontros surpreendentes com seres encantados da floresta como Iara e Curupira, que se tornam fortes aliados na empreitada.

de 23/03/2024 à 14/04/2024 65 min à partir de R$ 45 Encerrada
  • Sábado15h
  • Domingo11h e 15h
Teatro Vivo SP Classificação: L

CÃO GELADO

Duas mães. Uma ilha em guerra. Enquanto Alfonsina se recupera do luto e mobiliza outras mulheres do povoado, Ana espera o retorno do filho, trancada em casa. Sua única companhia é um cão morto, congelado por ela para que o filho, quando voltar, possa enfim se despedir.

de 21/03/2024 à 14/04/2024 100 min à partir de R$ 15 Encerrada
  • Quinta20h
  • Sexta20h
  • Sábado20h
  • Domingo17h
Sesc Pompeia Classificação: 16

ESPARRAMA PELA JANELA

Esparrama pela Janela (2013) foi o espetáculo que deu origem a trilogia. A montagem ganhou destaque relevante de público, crítica e mídia pela forma poética e inusitada com que ocupou e discutiu a cidade. Vencedora dos prêmios FEMSA de Teatro Infantil e Jovem nas categorias revelação pela direção e Sustentabilidade e Cooperativa Paulista de Teatro de melhor ocupação de espaço, a peça foi um projeto precursor para a revitalização simbólica do Minhocão, se tornando referência para diversas pesquisas nas áreas de artes e urbanismo. No espetáculo, um morador de um dos prédios do Minhocão, cansado de tanto barulho da cidade, resolve transformar o caos que entra pela sua janela em música, a partir desta subversão se estabelece um universo mágico protagonizado por personagens fantásticos: a menina/princesa que mora num prédio/castelo; o palhaço que dá vida ao casaco de sua amada; o seresteiro gigante; o esportista dançarino, as fofoqueiras da janela e até mesmo uma família de monstros. Por meio de muita risada e poesia essa turma mostra outras possibilidades de enxergar o caos da cidade.

de 29/03/2024 à 14/04/2024 40 min Gratuito Encerrada
  • Sexta16h
  • Sábado16h
  • Domingo16h
Minhocão (Elevado Pres. João Goulart) Classificação: L

CHEGO ATÉ A JANELA E NÃO VEJO O MUNDO

Graciliano Ramos e Nise da Silveira são presos durante a ditadura Vargas. Nesta situação de restrição absoluta, acabam se conhecendo e nasce uma amizade que se estende até o final da vida entre o escritor, um dos mais importantes do país, autor de Vidas Secas e São Bernardo, e a psiquiatra que revolucionou o tratamento psiquiátrico no Brasil com a inserção da arte na vida dos internos em manicômios. São duas personalidades muito diferentes que têm em comum o afeto, a compreensão de suas condições e o tamanho do mundo.

de 28/03/2024 à 14/04/2024 70 min Gratuito Encerrada
  • Quinta20h
  • Sexta20h
  • Sábado20h
  • Domingo19h
Itaú Cultural Classificação: 16

MARIA AUXILIADORA COM A CIA DOS INVENTIVOS

No final da década de 1930, Maria Auxiliadora e seus irmãos formam uma grande família de artistas negros que migram para a zona norte de São Paulo. Em meio aos desafios da cidade, a família Silva vai tecendo a sua história e exercendo o seu protagonismo junto a tantas outras. A história de Maria Auxiliadora também é forte como inspiração: uma mulher negra de origem pobre que ascende como artista visual em um meio elitista. Mas essa luta está permeada pelas relações de comunidade com uma rede de apoio que se conecta por familiaridade ou por compartilhar valores sociais, espirituais e culturais.

de 06/04/2024 à 14/04/2024 120 min Gratuito Encerrada
  • Quinta14h30
  • Sexta19h30
  • Sábado16h
  • Domingo16h
Sesc Casa Verde Classificação: 14

EU SOU UM MONSTRO

Escrita a partir de um acontecimento na vida do artista Francis Bacon (1909/1992) e seu namorado George Dyer, o performer pretende submeter seu público a experiência de sentir um ser idolatrado se transformar em um Monstro dentro delas. O sentimento de admiração e aversão colocados em confronto.

de 04/04/2024 à 14/04/2024 50 min à partir de R$ 12 Encerrada
  • Quinta21h30
  • Sexta21h30
  • Sábado21h30
  • Domingo18h30
Sesc Pompeia Classificação: 14

A GENTE TE LIGA, LAURA

Em A gente te liga, Laura, seis atrizes se revezam num teste de elenco repetindo o famoso monólogo da personagem Nina, da peça A gaivota, de Anton Tchekhov. O texto de Ines Bushatsky e João Mostazo fala de uma atriz que se vê diante da desvalorização da sua profissão. O tom das personagens em cena é dado pelas palavras iniciais do trecho escolhido: “Estou tão cansada...”. O cenário é um estúdio, com fundo branco e luzes frias, simulando o espaço de trabalho do universo audiovisual. Uma câmera ligada o tempo inteiro filma a ação e projeta as imagens em uma televisão, criando o ambiente de teste frequentemente encontrado por atores e atrizes nas suas trajetórias profissionais. De forma bem-humorada, a peça levanta questionamentos sobre alguns lugares comuns do mercado audiovisual que muitas vezes escondem preconceitos, como a noção de “sotaque neutro”, por exemplo. Como explica a diretora, “normalmente, sotaque neutro quer dizer simplesmente paulista, ou sudestino”. O nome da peça é também uma referência à frase ouvida por atores e atrizes após os testes: “a gente te liga”. Como comenta o dramaturgista João Mostazo, “essa frase encapsula a instabilidade e incerteza vivida por atores e atrizes nesse mercado, de viver à espera de respostas quanto ao resultado dos testes”.

de 05/04/2024 à 14/04/2024 50 min à partir de R$ 10 Encerrada
  • Sexta21h
  • Sábado21h
  • Domingo20h
Kasulo Espaço de Arte Classificação: 14

O VAZIO É CHEIO DE COISA

O Vazio É Cheio de Coisa é uma homenagem ao bambu, vegetal que conduziu a carreira de Poema às artes cênicas. O bambu é oco por dentro, e, portanto, uma das interpretações possíveis para o título do espetáculo é que o bambu, embora vazio, é capaz de inspirações, usos e aplicações inumeráveis.

de 12/04/2024 à 14/04/2024 50 min Gratuito Encerrada
  • Sexta20h
  • Sábado20h
  • Domingo19h
Centro Cultural São Paulo (CCSP) Classificação: 16

MERCÚRIO

O poema Fevereiro, escrito e declamado pela poetisa portuguesa Matilde Campilho, é o ponto de partida e a inspiração para o espetáculo Mercúrio, criação idealizada por Luiz Oliveira. A voz da autora declamando o poema percorre a coreografia em diferentes momentos. A obra em cena é uma dança que revela intenções múltiplas sobre uma relação de amor, com suas inúmeras possibilidades. Na apresentação, intérpretes, espectadores e a poetisa são envolvidos em uma coreografia que conecta a poesia com a dança contemporânea.

de 12/04/2024 à 14/04/2024 45 min à partir de R$ 12 Encerrada
  • Sexta20h
  • Sábado20h
  • Domingo17h
Sesc Belenzinho Classificação: 14

NAVEGAR

Navegar (2018) fecha a trilogia do Teatro de Janela e é resultado da pesquisa do projeto contemplado pelo Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo, que produziu uma série de “escutas” com crianças para responder à pergunta Com que cidade sonha uma criança? Inspirado nesse imaginário das crianças, a peça continua a história da personagem principal do Minhoca na Cabeça, seguindo a viagem que ela fez com seu barco. Finalista do Prêmio APCA 2018 na categoria Teatro Infantojuvenil e finalista em oito categorias (produção, direção, autoria de texto original, atriz, ator coadjuvante, cenografia, figurinos e sustentabilidade) do Prêmio São Paulo de Incentivo de Teatro Infantil e Jovem, o espetáculo se utiliza do universo da palhaçaria, da linguagem da animação e da música ao vivo para propor uma discussão sobre a relação entre a arte, as infâncias e a cidade.

de 24/03/2024 à 13/04/2024 45 min Gratuito Encerrada
  • Sábado16h
  • Domingo16h
Minhocão (Elevado Pres. João Goulart) Classificação: L

EU NÃO SOU DAQUI

Como habitar o entre? Desenterro e celebro os ossos, enquanto crio e percorro meu caminho... Nascida na cidade de São Paulo, migra para Piracicaba em 2019 e atualmente reside em Recife -Pernambuco. Carolina Moya investiga poeticamente, neste estudo, sua própria identidade e corporeidade. Abordando suas travessias e a condição de estrangeira às tradições que pesquisa e com as quais trabalha há vinte e quatro e dezessete anos, respectivamente, o flamenco e as danças tradicionais populares brasileiras (especificamente neste estudo: cavalo marinho, maracatu rural, baião de princesas e bumba-meu-boi). Técnicas corporais basilares da criação, a partir das quais explora outras corporeidades possíveis. A dramaturgia é livremente criada a partir da estrutura do baile flamenco das Alegrias de Cádiz. Para pensar o conceito de identidade deste estudo, Carolina, apoia-se no entendimento presente no texto da antropóloga Els Lagrou, No Caminho da Miçanga - Um mundo que Faz de Contas. "A identidade é constituída pela incorporação esteticamente controlada do outro" Els Lagrou.

de 12/04/2024 à 13/04/2024 50 min Gratuito Encerrada
  • Sexta19h
  • Sábado19h
Centro de Referência da Dança da Cidade de São Paulo - CRDSP Classificação: L

Inf Busca Peças

Data
Preço

Este website armazena cookies no seu computador. Esses cookies são usados para melhorar sua experiência no site e fornecer serviços personalizados para você, tanto no website, quanto em outras mídias. Para saber mais sobre os cookies que usamos, consulte nossa Política de Privacidade

Não rastrearemos suas informações quando você visitar nosso site, porém, para cumprir suas preferências, precisaremos usar apenas um pequeno cookie, para que você não seja solicitado a tomar essa decisão novamente.