Você está na cidade de:

A HORA DO LOBO

Christiane Jatahy apresenta o espetáculo “A Hora do Lobo” no Sesc Consolação

“A Hora do Lobo” conta a história de uma mulher, Graça, que foge do Brasil em 2020, quando o fascismo se torna mais visível e assustador. Ela sai do seu país, como muitos outros imigrantes, em busca de um novo lugar. Uma nova possibilidade de vida. Estamos em um teatro. No palco, os personagens de “Dogville” retomam a história do filme – a sua própria história – com o desejo de mudá-la, de não repetir os erros do passado. Eles se propõem uma experiência; refazer o filme ao vivo e provarem, a si mesmos e aos outros, que são capazes de aceitar “o outro”, o “estrangeiro”. Graça aceita participar da experiência. O filme, que está sendo feito ao vivo, começa a ser invadido pelos fantasmas do passado e a experiência, onde teatro e cinema se misturam, se transforma, pouco a pouco, em um laboratório humano implacável.

Ficha Técnica:

A partir do filme Dogville de Lars von Trier Adaptação, encenação e direção: Christiane Jatahy
Colaboração artística, cenografia e luzes: Thomas Walgrave
Direção de fotografia e montagem ao vivo: Paulo Camacho
Música: Vitor Araujo
Figurinos: Anna Van Brée
Sistema de vídeo: Julio Parente e Charlélie Chauvel
Som: Jean Keraudren
Diretora assistente: Stella Rabello
Operadora de luz: Samya Peruchi
Operador de som: Pedro Vituri
Diretor de Palco: Aymrik Pech
Contra-regras: Tiago Moro e Edmo Rocha
Camareira: Alessandra Ribeiro
Fotos: Magali Dougados
Assessoria de imprensa: Factoria (Vanessa Cardoso)
Assessoria jurídica: Dra. Martha Macruz de Sá
Assistente de produção: Rick Nagash
Direção de produção: Henrique Mariano
Com Azelyne Cartigny, Delphine Hecquet, Julia Bernat, Matthieu Sampeur, Paulo Camacho, Philippe Duclos, Valerio Scamuffa, Véronique Alain, Vincent Fontannaz, Viviane Pavillon.
Com participação de Harry Blättler Bordas
Agradecimentos: Martine Bornoz, Adèle Lista, Arthur Lista
Construção do cenário original: Ateliers da Comédie de Genève
Reconstrução do cenário no Brasil: Claudia Calabi e Ju di Grazia
Produção original: Comédie de Genève
Produção Brasil: Axis Produções Artísticas Ltda (Cia Vértice)
Coprodução: Odéon-Théâtre de l’Europe – Paris, Piccolo Teatro di Milano-Teatro d’Europa, Théâtre national de Bretagne – Rennes, Maillon Théâtre de Strasbourg – Scène européenne.

Detalhes da peça

Status

Encerrada

Temporada

De 22/09/2023 até 15/10/2023

Dias

qua a sáb 20h, dom/fer 18h

Duração

110 minutos

Valor

R$50 (inteira) / R$25 (meia) / R$15 (credencial plena)

Região

Centro / São Paulo

Teatro / Espaço

Teatro Anchieta - Sesc Consolação
Rua Doutor Vila Nova, 245, Metrô Higienópolis-Mackenzie  , Vila Buarque, São Paulo/SP - 01222-020

Estacionamento

Cafeteria

Sim

Telefone

(11) 3234 3000

16

Classificação indicativa

Não apropriado para menores de 16 anos

Galeria de fotos
Fotos por Magali Dougados,Leo Aversa,Paulo Camacho
Compartilhar em

Você pode se interessar

ENTRE FRANCISCOS, O SANTO E O PAPA

"Entre Franciscos, O Santo e O Papa” mostra o Papa Francisco preocupado e cansado dos problemas do cotidiano. Ele entra na lavanderia do Vaticano, local que mandou construir para a população de rua e encontra um homem. Inicialmente, ele não percebe, mas este homem é São Francisco de Assis e, aos poucos, o diálogo entre essas duas icônicas figuras vai revelando dores, incertezas, mas também amores, fé e reflexões sobre os grandes dilemas da humanidade.

de 10/05/2024 a 30/06/202470 minà partir de R$ 40Em cartaz
  • Sexta18h
  • Sábado18h
  • Domingo18h
Teatro Sérgio Cardoso

BÓRIS NÃO ESTÁ PRONTO

Bóris não é um indivíduo, Bóris não é um personagem, Bóris não é uma pessoa. Boris é o nome que encontramos para batizar todos os homens. Bóris é a síntese da masculinidade, um ser inacabado. O fato de 'não estar pronto' marca a esperança e seu caráter histórico, marca sua precariedade e errância. Esta negação dirige-se a possível interlocução que espera ou vaticina a finitude da masculinidade como algo rotulável e estanque. Não se trata de exaltação ou condenação, mas do mergulho humanizador nas crostas brutalizadas e, ao mesmo tempo, frágeis do mundo dos homens. “Bóris” é um vir a ser, algo em movimento, em busca de um encontro. Quatro atores se dividem em cena para apresentar fragmentos de situações exemplares da construção do ser homem, do imaginário e da cultura machista. Com foco nas fragilidades do homem, na tortura do machismo sobre a masculinidade e nas consequências da perpetuação desta mazela social e histórica, a peça se ampara na forma lírica e épica. Abre mão de personagens fixos e opta pela profusão de tipos que compõem um mosaico do macho.

de 07/06/2024 a 06/07/202465 minGratuitoEm breve
  • Sexta20h
  • Sábado20h
CDC Vento Leste

O DEUS DE SPINOZA

A peça mostra a comunidade judaica incomodada com o pensamento de Baruch de Spinoza, filho de imigrantes ibéricos acolhidos em Amsterdã, que afronta os costumes e preceitos de sua religião. Na tentativa de convencê-lo a ser um bom cidadão, os Rabinos do Conselho Judaico apresentam formas de conversão. Se Spinoza não aceitar, será julgado, condenado e exilado. Ele expõe todo o seu pensamento a seu amigo, Jan Rieuwertsz, editor de livros, com quem pode desabafar e contar de seus planos futuros. Um convite à reflexão e à liberdade de pensamento. O espetáculo é pontuado por músicas sefarditas do século XVII, em língua ladina, executadas ao vivo

de 10/04/2024 a 06/06/202480 minà partir de R$ 40Em cartaz
  • Quarta20h
  • Quinta20h
Teatro Uol

Inf Busca Peças

Data
Preço

Este website armazena cookies no seu computador. Esses cookies são usados para melhorar sua experiência no site e fornecer serviços personalizados para você, tanto no website, quanto em outras mídias. Para saber mais sobre os cookies que usamos, consulte nossa Política de Privacidade

Não rastrearemos suas informações quando você visitar nosso site, porém, para cumprir suas preferências, precisaremos usar apenas um pequeno cookie, para que você não seja solicitado a tomar essa decisão novamente.