Você está na cidade de:

A RECEITA

A todas as mulheres do mundo!

Espetáculo de Pernambuco que chega ao Rio de Janeiro, “A Receita” busca em sua dramaturgia textual e cênica, visibilizar e propor a reflexão acerca da vulnerabilidade da mulher negra em situação de violência doméstica.

Idealizado pela necessidade de dar visibilidade a situação de violência sofrida pela mulher negra, o espetáculo “A Receita” foi selecionado pelo edital é SESC PULSAR 2022/2023 para apresentações no Rio de Janeiro, nas unidades do Sesc Ramos em 10 de maio, no Sesc São Gonçalo em 11 de maio, no Sesc Teresópolis em 12 de maio e no Sesc Niterói em 13 de maio, sempre a partir das 19h e com intérprete de Libras. Em cena, a atriz preta, Naná Sodré, uma das atrizes mais vigorosas e inventivas de Pernambuco, sob direção e dramaturgia de Samuel Santos, revela e discute, através de um trabalho de corpo e voz rigorosos, a violência doméstica sofrida por uma mulher negra. O espetáculo teve como embrião uma cena curta, resultado do trabalho que Naná Sodré construiu, em 2013, junto a Eugenio Barba e Julia Varley, do Odin Teatret, da Dinamarca. Com “A Receita”, Naná Sodré recebeu indicação de melhor atriz na capital pernambucana e participou de vários festivais nacionais e internacionais.

A todas as mulheres do mundo! Grita com o corpo a atriz Naná Sodré, na obra tragicômica que descreve um universo de uma mulher num processo de libertação. Num acerto de contas, a anônima confessa como passou a maior parte do tempo temperando suas ilusões com sal, alho e coentro com cebolinha… Até mesmo em momentos desatinados. O espetáculo funciona como um foco de luz que revela as situações vividas no ambiente domiciliar/social de várias mulheres pelo mundo afora! Morte, violência, loucura e a intolerância de uma maneira peculiar são narradas nesse solo explorando diversos pontos de vista, abordando suas inexoráveis naturezas e revelando uma dramaturgia atual de Samuel Santos, antenada com as questões de uma personagem no seu processo limite.

– “A Receita” é um encontro com a libertação feminina. Eu queria trazer à tona temas caros a esse universo, discutir o papel da mulher na sociedade e a violência que tantas de nós sofremos. Em Pernambuco, onde a cada dia cresce o número de mulheres assassinadas por seus companheiros, como em cada canto do Brasil e do mundo –, declara Naná Sodré.

Durante 40 minutos a plateia acompanha quadro a quadro, as diversas atmosferas e odores de uma conversa realizada em vários ambientes domésticos relacionados diretamente a subalternização dessa mulher em situação “do lar” e bem próximo também do imaginário da negra escravizada. O solo compartilha as medidas de uma receita de libertação e do momento em que a mulher resolve tomar as rédeas da própria vida, para dar um basta ao abandono pessoal e sair da sua situação de opressão.

A obra é alicerçada na pesquisa continuada em matriz africana realizada pelo grupo O Poste Soluções Luminosas intitulada “O Corpo Ancestral dentro da Cena Contemporânea”, pesquisa realizada no terreiro de Candomblé e Umbanda/Jurema tendo como base a ancestralidade africana. Assim, o espetáculo “A Receita” descoloniza a cena, tendo como base a ancestralidade corporal e vocal, traçando um paralelo entre os orixás no terreiro de Candomblé e as entidades da Umbanda/Jurema.

– Após cada apresentação faremos uma “Gira de diálogo” com o público presente, com o objetivo de trocar experiências de como o espetáculo foi criado, levando em consideração o conceito e o percurso de uma cultura afro brasileira em diversos aspectos, salientando também a violência sofrida pelas mulheres negras e de baixa escolaridade e renda, e suas relações com a sociedade –, conclui a atriz.

De acordo com o Mapa da Violência e as pesquisas realizadas por institutos e órgãos ligados a conselhos de direitos e justiça no Brasil, a mulher negra sofre mais violência que as mulheres não negras, indígenas e orientais, um dado que aumenta a cada minuto, onde as ações afirmativas, como a apresentação de um espetáculo que fale sobre o tema, torna visível essa situação ampliando a consciência das especificidades e do imaginário que estão diretamente relacionados a violência contra as mulheres negras. Com esse projeto pretende-se não só manter um período de apresentações do espetáculo, mas também manter as reflexões sugeridas pela obra artística em relação a valorização dessa mulher tão estigmatizada.

Sobre a atriz Naná Sodré e o grupo O Poste Soluções Luminosas
Mulher preta, Naná Sodré tem 47 anos de idade, é diretora, atriz, produtora cultural e professora de Artes Cênicas formada pela UFPE, instituição na qual também já foi docente. É mestranda em Artes Cênicas pela UFRN, pertencente ao grupo de pesquisa MOTIM-UERJ. Fundou, em 2004, o grupo O Poste Soluções Luminosas, grupo artístico e de investigação teatral com o foco na pesquisa em matriz africana e na visibilidade do negro na arte e na vida. Pauta crucial de seus espetáculos. Em 2011, no Festival Janeiro de Grandes Espetáculos, ganha o Prêmio de Melhor atriz pelo espetáculo “Cordel do Amor Sem Fim”, em 2013 ganha o Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante pelo espetáculo “Anjo Negro” e indicação de Melhor Atriz pelo solo “A Receita”, em 2015, e no mesmo ano o grupo ganha o Prêmio de Pesquisa em Matriz Africana pelo espetáculo “Ombela” falado na língua angolana Umbundo e em português. Visibilizando positivamente as mulheres pretas do estado de Pernambuco, criou o projeto Quebrando O Silêncio – oficina de escrita e a Mostra PretAção – Mostra de Mulheres Pretas. Naná também já trabalhou em organizações não governamentais atendendo a jovens, adultos e crianças em processo de exclusão social, principalmente por fatores socioeconômicos, grupos compostos na sua maioria por negros e negras. Assessora e coordena projetos voltados para a comunidade negra e teatral de Pernambuco e de outros estados no espaço cultural o Espaço O Poste Soluções Luminosas inaugurado em 2014, dentre os projetos podemos citar a criação da Escola de Antropologia Teatral.

O Poste Soluções Luminosas é um grupo de artistas negros, cuja produção artística e suas pesquisas teatrais são calcadas no resgate antropológico, onde sua poética é a matriz africana e tomando essa como base de uma ancestralidade corporal e vocal pelo viés artístico teatral, traçando um paralelo entre as incorporações dos Orixás nos terreiros de Candomblé e Umbanda, procurando aproximar essa investigação aos processos artísticos teatrais.

Ficha técnica:

Atuação e maquiagem: Naná Sodré
Direção, texto e iluminação: Samuel Santos
Sonoplastia, figurino e objetos de cena: Naná Sodré e Samuel Santos
Técnicas corporais orientais: Mestre/Sifu Manoel Ramos
Fotografia: Thais Lima e Jorge Farias
Programação visual: Vicente Simas

Dia 11 de maio, quinta-feira, às 19h, Sesc São Gonçalo: Av. Pres. Kennedy, 755, Estrela do Norte
Dia 12 de maio, sexta-feira, às 19:30h, Sesc Teresópolis: Av. Delfim Moreira, 749, Várzea
Dia 13 de maio, sábado, às 19h, Sesc Niterói: Rua Padre Anchieta, 56, São Domingos

Todas as sessões terão intérprete de Libras.

 

 

 

Texto disponibilizado pela produção do espetáculo.

Detalhes da peça

Status

Encerrada

Temporada

De 10/05/2023 até 10/05/2023

Dias

qua 19h

Duração

45 minutos

Valor

R$10 (inteira) / R$5 (meia)

Região

Teatro / Espaço

Sesc Ramos RJ
R. Teixeira Franco, 38 - Ramos, Rio de Janeiro - RJ, 21060-130, 38, Ramos, Rio de Janeiro/RJ - 21060130

Estacionamento

Cafeteria

Sim

Telefone

(21) 4020-2101

E-mail

falecomagente@sescrio.org.br

16

Classificação indicativa

Não apropriado para menores de 16 anos

Galeria de fotos
Fotos por Jorge Faria
Compartilhar em

Você pode se interessar

LÓTUS

Lótus é um espetáculo que tem como ponto de partida a poética feminina. É sobre mulheres que desejamos falar, em especial sobre a realidade afetiva das mulheres negras. Em cena, o universo de mulheres que trazem histórias que são invisibilizadas pelo patriarcado subjacente. A peça trata de amor, superação, beleza e vida, isto dentro de um contexto de hipersexualização dos corpos femininos, além de contar os caminhos que essas mulheres encontram para resistir e (re)existir. O espetáculo é um convite para refletir sobre a afetividade nas relações, um chamado para ressignificar o olhar sobre o sagrado feminino e masculino.

de 10/05/2024 a 02/06/202460 minà partir de R$ 12Últimos Dias
  • Sexta21h30
  • Sábado18h30
  • Domingo18h30
Sesc Ipiranga

OLIVER E O MONSTRO DOS OLHOS VERDES

Uma criação de Fábio Ferretti a partir da obra Les Faux-monnayeurs de André Gide. Após a morte do companheiro, um homem entra em contato com um acervo de cartas e diários guardados por este. No material encontrado, o homem descobre fatos e acontecimentos até então desconhecidos, que ocorreram há quarenta anos e que foram determinantes para que ele pudesse encontrar seu companheiro. O material encontrado foi escrito e deixado por Eduardo, seu sobrinho Oliver e o amigo deste, Bernardo. Os fatos descritos narram a relação destes três homens, onde cada um expõe seu ponto de vista sobre os acontecimentos. A amizade de Oliver e Bernardo, a amizade de Bernardo e Eduardo e a relação amorosa entre Oliver e Eduardo são descortinadas e possibilitam ao homem, depois de quarenta anos, descobrir os meandros da sua própria história e os acontecimentos que possibilitaram a ele ser o homem que se tornou. Entre encontros e desencontros e uma tentativa de suicídio, a relação dos três é esmiuçada e o olhar de cada um deles é lançado sobre suas relações e sobre os diversos acontecimentos gerados por elas. A história destes três homens e seus relatos desencadeia nesse homem uma imagem mais clara do seu companheiro perdido.

de 02/05/2024 a 26/05/202475 minGratuitoÚltimos Dias
  • Quinta20h
  • Sexta20h
  • Sábado20h
  • Domingo18h
Teatro Arthur Azevedo

MEU NOME: MAMÃE

A peça atravessa emocionalmente com cronologia própria uma jornada de vida do ator ao lado da sua mãe e da sua família. Aury Porto evoca e invoca lembranças, histórias, canções e construções acerca da travessia de um filho diante do adoecimento da mãe. A doença de Alzheimer, que acomete cada vez mais brasileiros, é narrada no espetáculo em experiências que, por muito íntimas, se tornam universais.

de 03/05/2024 a 31/05/202455 minà partir de R$ 35Últimos Dias
  • Quinta20h
  • Sexta20h
  • Quinta20h
  • Sexta20h
Ágora Teatro

Inf Busca Peças

Data
Preço

Este website armazena cookies no seu computador. Esses cookies são usados para melhorar sua experiência no site e fornecer serviços personalizados para você, tanto no website, quanto em outras mídias. Para saber mais sobre os cookies que usamos, consulte nossa Política de Privacidade

Não rastrearemos suas informações quando você visitar nosso site, porém, para cumprir suas preferências, precisaremos usar apenas um pequeno cookie, para que você não seja solicitado a tomar essa decisão novamente.