Você está na cidade de:

BASH

Fernando Vilela dirige montagem de Bash, do estadunidense Neil LaBute, que estreia em  abril no Espaço Elevador

Composta por três cenas, Bash é um mosaico daquilo que é mais abafado e reprimido dentro de nós e que explode à superfície de maneira furiosa. Um homem conta como a morte da sua filha pôde lhe garantir a permanência no emprego. Um casal universitário rememora o aniversário de namoro em uma viagem especial até que um evento violentamente inesperado acontece. E uma mulher relata como foi seduzida pelo seu professor na época da escola e como isso lhe rendeu uma série de consequências descomunais até resultar na mais drástica entre todas.

Ficha Técnica:

Texto: Neil LaBute
Direção: Fernando Vilela
Com: Filipe Augusto, Júlia Caterina, Fernando Vilela, Malú Lomando
Luz: Ariel Rodrigues
Preparação Vocal: Malú Lomando
Direção de Arte: Fernando Vilela
Foto: Sarah Ferreira
Assistente de Foto: Jefferson Ferreira
Assessoria de Imprensa: Pombo Correio
Realização: Fresta

Detalhes da peça

Status

Em cartaz

Temporada

De 13/04/2024 até 12/05/2024

Dias

  • Sábado19h
  • Domingo19h

Duração

170 minutos

Valor

R$60 (inteira) / R$30 (meia)

Região

Centro / São Paulo

Teatro / Espaço

Espaço Elevador
R. Treze de Maio, 222, Bela Vista, São Paulo/SP - 01327000

Estacionamento

Estacionamento: Rua Treze de Maio, 240

Cafeteria

Sim

E-mail

cia.elevador@uol.com.br

16

Classificação indicativa

Não apropriado para menores de 16 anos

Galeria de fotos
Fotos por Sara Ferreira
Compartilhar em

Você pode se interessar

BÓRIS NÃO ESTÁ PRONTO

Bóris não é um indivíduo, Bóris não é um personagem, Bóris não é uma pessoa. Boris é o nome que encontramos para batizar todos os homens. Bóris é a síntese da masculinidade, um ser inacabado. O fato de 'não estar pronto' marca a esperança e seu caráter histórico, marca sua precariedade e errância. Esta negação dirige-se a possível interlocução que espera ou vaticina a finitude da masculinidade como algo rotulável e estanque. Não se trata de exaltação ou condenação, mas do mergulho humanizador nas crostas brutalizadas e, ao mesmo tempo, frágeis do mundo dos homens. “Bóris” é um vir a ser, algo em movimento, em busca de um encontro. Quatro atores se dividem em cena para apresentar fragmentos de situações exemplares da construção do ser homem, do imaginário e da cultura machista. Com foco nas fragilidades do homem, na tortura do machismo sobre a masculinidade e nas consequências da perpetuação desta mazela social e histórica, a peça se ampara na forma lírica e épica. Abre mão de personagens fixos e opta pela profusão de tipos que compõem um mosaico do macho.

de 12/04/2024 a 04/05/202465 minGratuitoEm cartaz
  • Sexta20h
  • Sábado20h
CDC Vento Leste

SENHORITA JÚLIA

Na cozinha de uma casa senhorial sueca no fim do século XIX, durante uma festa, uma representante da aristocracia se envolve com seu criado. A partir deste evento escandaloso, o que antes era uma clara e bem estruturada relação de patrão e empregado se torna uma batalha incessante pelo domínio da dinâmica de poder. Ao explorar a potência poética e surrealista deste choque, a Cia. Bípede traz ao palco uma desconstrução estética desta obra tradicionalmente naturalista, carregando a trama com um cenário desmembrado e solitário, uma luz poético-narradora e atores mascarados.

de 19/04/2024 a 21/04/202475 minà partir de R$ 25Em breve
  • Sexta20h
  • Sábado20h
  • Domingo19h
Espaço Parlapatões

A HISTÓRIA SEM FIM

Tímido, Bastian Balthasar Bux adora ler, pois encontra nos livros uma forma de escape para sua vida tão triste. Com a morte de sua mãe, recebe um livro de presente e fascinado de forma mágica pelo mesmo, o menino mergulha em Fantasia tentando se afastar desse mundo real. Esse reino fantástico, está ameaçado pelo Nada, espécie de força estranha que se propaga cada vez mais de maneira assustadora. Por ter sido um presente de sua mãe, Bastian o lê loucamente e atende o chamado dos personagens da obra para salvar Fantasia. Nesse universo, a salvação da Imperatriz Criança, que adoece de forma misteriosa, precisa receber um novo nome a ser dado somente por uma criança humana. Seria Bastian a criança capaz de libertar o Reino de Fantasia, e com isso socorrer a si próprio? Junto com o jovem herói Atreiú e o Dragão da Sorte Fuchur, o garoto se entrega a uma viagem na qual cada minuto importa. Resgatar Fantasia e, consequentemente, o Mundo dos Humanos.

de 29/03/2024 a 01/07/202480 minGratuitoEm cartaz
  • Sexta20h
Teatro do SESI-SP

Inf Busca Peças

Data
Preço

Este website armazena cookies no seu computador. Esses cookies são usados para melhorar sua experiência no site e fornecer serviços personalizados para você, tanto no website, quanto em outras mídias. Para saber mais sobre os cookies que usamos, consulte nossa Política de Privacidade

Não rastrearemos suas informações quando você visitar nosso site, porém, para cumprir suas preferências, precisaremos usar apenas um pequeno cookie, para que você não seja solicitado a tomar essa decisão novamente.