Você está na cidade de:

HELENA OU DE QUEM SÃO AS MÃO QUE FAZEM A GUERRA?

Espetáculo da Cia Ato Reverso, mescla animações 2D à cena teatral em uma encenação game sobre o mito de Helena de Troia

Três deusas gamers comandam do Olimpo Virtual o jogo cíclico patriarcal “Helena ou De quem são as mãos que fazem a guerra?”. Dentro do jogo, após a guerra de Troia, restam as sobreviventes: Hécuba, anciã e rainha troiana; Andrômaca, viúva de Heitor; Cassandra, a oráculo; e Menelau, o marido traído que busca vingança. Odiada por todos, Helena é acusada pela guerra! Será Helena realmente a culpada?

Ficha Técnica:

Helena ou De quem são as mãos que fazem a guerra? – Cia Ato Reverso
Direção geral e encenação: Nathália Bonilha
Dramaturgia: Nathália Bonilha e Cia Ato Reverso
Atuação: Bárbara Lins, Jamile Rai, Nathália Bonilha, Renato Mendes e Theodora Ribeiro
Atuação em vídeo: Diane Boda, Luiza Romão e Mayra Coelho
Preparação vocal: Isadora Titto
Preparação corporal e visagismo: Lua Negrão
Cenário: Mauro Martorelli
Figurino: Magê Blanques
Iluminação: Robson Lima
Trilha sonora: Vinícius Motta
Roteiro Audiovisual: Nathália Bonilha
Direção de Arte: Tiago Stracci
Animação 2D e Edição de vídeo: Bruno Mehsey
Ilustração: Ana Lima e Tiago Stracci
Fotografia e Montagem dos vídeos: Bárbara Lins
Mixagem e Masterização do som: Vinícius Motta
Locução do vídeo: Rodolfo Morais
Designer gráfico: Tiago Stracci
Produção: Cícero Andrade, Mosaico Produções
Assistente de iluminação e operação de luz: Matheus Espessoto
Operação de som: Thales Alves e Vinícius Motta
Criação e Operação de projeção: Guilherme Pereira e Letícia Pinto
Assessoria de Imprensa: Adriana Monteiro, Ofício das Letras

*Sessão do dia 28/4, domingo, às 18h conta com recursos de acessibilidade em Libras, Língua Brasileira de Sinais, e Audiodescrição, recurso narrativo que oferece informações sonoras adicionais para pessoas com deficiência visual.

*Atividade formativa aberta ao público chamada “Desmontando Helena” no sábado, 27/04 às 16h.

Detalhes da peça

Status

Encerrada

Temporada

De 25/04/2024 até 28/04/2024

Dias

  • Quinta20h
  • Sexta15h e 20h
  • Sábado20h
  • Domingo18h

Duração

80 minutos

Valor

R$30 (inteira) / R$15 (meia) / R$10 (credencial plena)

Região

Zona Norte / São Paulo

Teatro / Espaço

Sesc Santana
Av. Luiz Dumont Villares, 579, Santana, São Paulo/SP - 02085100

Estacionamento

Cafeteria

Sim

Telefone

(11) 2971-8700

E-mail

email@santana.sescsp.org.br

14

Classificação indicativa

Não apropriado para menores de 14 anos

Galeria de fotos
Fotos por Douglas de Campos
Compartilhar em

Você pode se interessar

O DEUS DE SPINOZA

A peça mostra a comunidade judaica incomodada com o pensamento de Baruch de Spinoza, filho de imigrantes ibéricos acolhidos em Amsterdã, que afronta os costumes e preceitos de sua religião. Na tentativa de convencê-lo a ser um bom cidadão, os Rabinos do Conselho Judaico apresentam formas de conversão. Se Spinoza não aceitar, será julgado, condenado e exilado. Ele expõe todo o seu pensamento a seu amigo, Jan Rieuwertsz, editor de livros, com quem pode desabafar e contar de seus planos futuros. Um convite à reflexão e à liberdade de pensamento. O espetáculo é pontuado por músicas sefarditas do século XVII, em língua ladina, executadas ao vivo

de 10/04/2024 a 06/06/202480 minà partir de R$ 40Em cartaz
  • Quarta20h
  • Quinta20h
Teatro Uol

VERANEIO

O aniversário da mãe é o mote para o reencontro da família. O cenário de VERANEIO é a uma casa à beira-mar, recém-comprada por uma das filhas, Hercília, decadente apresentadora de televisão e incomodada com a presença da mãe no seu refúgio. Ela e os irmãos, Silvio e Mario Sérgio, estão ansiosos para conhecer o novo e misterioso namorado de Dona Laura, um animado professor de ginástica. A expectativa por esse encontro e as novidades que ele traz afetam a relação familiar.

de 22/05/2024 a 22/05/2024110 minGratuitoEm breve
  • Quarta21h
  • Quarta21h
Teatro Cacilda Becker

BÓRIS NÃO ESTÁ PRONTO

Bóris não é um indivíduo, Bóris não é um personagem, Bóris não é uma pessoa. Boris é o nome que encontramos para batizar todos os homens. Bóris é a síntese da masculinidade, um ser inacabado. O fato de 'não estar pronto' marca a esperança e seu caráter histórico, marca sua precariedade e errância. Esta negação dirige-se a possível interlocução que espera ou vaticina a finitude da masculinidade como algo rotulável e estanque. Não se trata de exaltação ou condenação, mas do mergulho humanizador nas crostas brutalizadas e, ao mesmo tempo, frágeis do mundo dos homens. “Bóris” é um vir a ser, algo em movimento, em busca de um encontro. Quatro atores se dividem em cena para apresentar fragmentos de situações exemplares da construção do ser homem, do imaginário e da cultura machista. Com foco nas fragilidades do homem, na tortura do machismo sobre a masculinidade e nas consequências da perpetuação desta mazela social e histórica, a peça se ampara na forma lírica e épica. Abre mão de personagens fixos e opta pela profusão de tipos que compõem um mosaico do macho.

de 07/06/2024 a 06/07/202465 minGratuitoEm breve
  • Sexta20h
  • Sábado20h
CDC Vento Leste

Inf Busca Peças

Data
Preço

Este website armazena cookies no seu computador. Esses cookies são usados para melhorar sua experiência no site e fornecer serviços personalizados para você, tanto no website, quanto em outras mídias. Para saber mais sobre os cookies que usamos, consulte nossa Política de Privacidade

Não rastrearemos suas informações quando você visitar nosso site, porém, para cumprir suas preferências, precisaremos usar apenas um pequeno cookie, para que você não seja solicitado a tomar essa decisão novamente.