Você está na cidade de:

JACKSONS DO PANDEIRO

Abrindo a programação teatral do Teatro Porto em 2023, o premiado musical Jacksons do Pandeiro, com a Barca dos Corações Partidos e artistas convidados.

Os integrantes da Barca (Adrén Alves, Alfredo Del-Penho, Beto Lemos, Eduardo Rios e Ricca Barros) dividem a cena com artistas convidados: Jef Lyrio, Everton Coroné, Lucas dos Prazeres e Luiza Loroza. A montagem venceu o prêmio APTR (Associação dos Produtores de Teatro) e foi indicado como melhor espetáculo virtual pela APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes).

“Optamos por distribuir a ação em brincantes que contam pedaços de suas histórias pessoais, as quais em muitos pontos coincidem com a história de Jackson. Falando de Jackson, falamos desses nordestinos anônimos. Falando deles, falamos do cantor e compositor que levou a vida deles para as rádios e as TVs, em forma de cocos e baiões”, analisa o autor paraibano Braulio Tavares, que assim como seu colega de trabalho pernambucano Eduardo Rios, tem profunda relação com a cultura nordestina e sua poesia popular.

Ainda sobre a dramaturgia, Tavares explica: “Às vezes, o texto do espetáculo aparece em forma de música, às vezes como uma poesia ou um poema musicado. Cada vez que ele aparece, ele propõe uma nova brincadeira rítmica – mesmo não tendo uma métrica de poesia – por meio de um jogo de palavras ou outro mecanismo. A nossa ideia é fazer isso para dialogar com as músicas do Jackson, que tinham poesia, brincadeira e alegria”.

O universo rítmico do homenageado norteou toda a concepção do musical. A diretora Duda Maia aprofundou sua pesquisa sobre a ideia de ‘corpo-rítmico’ dos atores, ao abordar um compositor cuja obra é marcada pelo suingue, ginga e síncope, aquele tempo musical presente no samba e em outros gêneros, quando o ritmo sai do tempo esperado.

Já a construção da trilha sonora da montagem partiu de uma minuciosa investigação sobre o vasto repertório de Jackson do Pandeiro. O musical reúne sucessos como ‘Sebastiana’, ‘O Canto da Ema’, ‘Chiclete com Banana’, ‘Cantiga do Sapo’ e outras composições menos conhecidas, que revelam mais da alma brasileira e sincopada do artista.

Além dessas canções, o musical traz músicas novas, que transformam a obra do homenageado, ao dar novos arranjos, acrescentar letras e introduzir canções criadas no processo. “É um ‘pedir licença’ à obra dele, mas sem deixar de homenageá-lo com todo respeito, carinho e admiração”, conta Eduardo Rios.

Assim como nas montagens anteriores da Barca, em Jacksons do Pandeiro todos os instrumentos são tocados pelos atores em cena. “Trazemos a forma sincopada do canto para o jogo de cena o tempo todo. Em nosso título, Jacksons aparece no plural porque são várias histórias que se cruzam e se confundem com a de Jackson”, conta Duda Maia.

A diretora revela ainda que dividiu o palco em dois espaços cenográficos, nos quais os atores brincam com seus diferentes níveis e alturas. Como Jackson era fã de filmes de faroeste, ela concebeu a encenação de algumas canções como pequenos curtas-metragens ou clipes animados, apresentados em um local que remete a uma tela de cinema.

Ficha Técnica:

Direção: Duda Maia. Texto: Braulio Tavares e Eduardo Rios.
Direção musical e arranjos: Alfredo Del-Penho e Beto Lemos.
Idealização e direção de produção: Andréa Alves.
Com a Cia. Barca dos Corações Partidos: Adrén Alves, Alfredo Del-Penho, Beto Lemos, Eduardo Rios e Ricca Barros e os artistas convidados Jef Lyrio, Everton Coroné, Lucas dos Prazeres e Luiza Loroza.
Assistência de direção: Carol Futuro.
Figurinos: Kika Lopes e Rocio Moure. Cenário: André Cortez.
Iluminação: Renato Machado.
Design de som: Gabriel D’AngeloVisagismo: Uirandê Holanda.
Assistente de figurino: Masta Ariane.
Assistente de cenografia e produção de arte: Tuca Mariana.
Cenotécnico: André Salles.
Costureiras: Carmelita, Deyside Rios e Fátima Félix.
Coordenação de produção: Rafael Lydio.
Produção local e executiva: Flávia Primo.
Produtor assistente: Matheus Castro.
Assessoria de Imprensa: Pombo Correio.

 

Não haverá sessões nos dias 17, 18 e 19/02

 

Texto disponibilizado pela produção do espetáculo.

 

Detalhes da peça

Status

Encerrada

Temporada

De 03/02/2023 até 26/03/2023

Dias

sex 20h, sáb 20h e dom 17h.

Duração

120 minutos

Valor

Plateia R$100 (meia R$50) / Balcão e Frisas R$70 (meia R$35)

Região

Centro / São Paulo

Teatro / Espaço

Teatro Porto Seguro
Alameda Barão de Piracicaba, 740, Campos Elíseos, São Paulo/SP - 01216-012

Estacionamento

Alameda Barão de Piracicaba, 634

Cafeteria

Sim

Telefone

(11) 3366-8700

E-mail

contato@teatroportoseguro.com.br

10

Classificação indicativa

Não apropriado para menores de 10 anos

Galeria de fotos
Compartilhar em

Você pode se interessar

CANTANDO NA CHUVA

Baseado no clássico filme de 1952, o musical Cantando na Chuva se passa em Hollywood no final da década de 1920. As estrelas do cinema mudo Don Lockwood e Lina Lamont vivenciam a impossível transição para o cinema falado, por conta da voz estridente de Lina, que arranca risadas da plateia. Enaltecida por doses certeiras de comédia, romance, dança e sapateado, a trama se aquece com a paixão inesperada de Don com a corista contratada para dublar a superestrela Lina. O musical é divertidíssimo e indicado para toda a família, com coreografias inesquecíveis, além do memorável número da canção “Singin’ in the Rain”, levado aos palcos com o desafio técnico de fazer chover em cena. 

de 04/04/2024 a 16/06/2024140 minà partir de R$ 19Em cartaz
  • Quarta20h
  • Quinta20h
  • Sexta20h
  • Sábado15h e 19h30
  • Domingo15h e 19h30
Teatro Sérgio Cardoso

RITA LEEE – UMA AUTOBIOGRAFIA MUSICAL

Diferentemente do projeto anterior, dessa vez, Mel conta a história de Rita com base no livro da cantora, lançado em 2016 e um dos maiores sucessos editoriais do Brasil. O livro narra os altos e baixos da carreira de Rita com uma honestidade escancarada, a ponto de ter sido apontado como “ensinamento à classe artística” pelo jornal O Estado de São Paulo. A ideia do novo musical surgiu quando Mel gravou a versão em audiolivro, como Rita, em 2022. O texto de Rita, numa narrativa envolvente e perfeita para um musical biográfico, conta do primeiro disco voador avistado por ela ao último porre. Sem se poupar, ela fala da infância e dos primeiros passos na vida artística; de Mutantes e de Tutti-Frutti; de sua prisão em 1976, na ditadura; do encontro de almas com Roberto de Carvalho; das músicas e dos discos clássicos; do ativismo pelos direitos dos animais; dos tropeços e das glórias.

de 26/04/2024 a 15/09/2024120 minà partir de R$ 20Em cartaz
  • Sexta20h
  • Sábado20h
  • Domingo17h
Teatro Porto Seguro

BELCHIOR – O MUSICAL

A narrativa, construída por Pedro Cadore e Cláudia Pinto, se desdobra a partir de trechos de entrevistas do próprio Belchior, proporcionando ao público um vislumbre da juventude do artista e suas reflexões sobre um mundo em constante desconcerto. O espetáculo destaca Pablo Paleólogo, que encarna o cantor cearense, e Bruno Suzano, que dá vida ao "Cidadão Comum", uma presença constante nas canções de Belchior, representando, de certa forma, seu alter ego. Mais do que uma mera retrospectiva, a peça aspira transmitir a filosofia de Belchior, convidando o espectador a explorar a profundidade de suas letras e pensamentos. Cadore destaca a intenção de proporcionar uma experiência nostálgica aos fãs, assim como introduzir a poesia única do compositor àqueles que ainda não a conhecem.

de 04/07/2024 a 21/07/2024 minGratuitoEm breve
  • Quinta21h
  • Sexta21h
  • Sábado21h
  • Domingo18h
Teatro Bravos - Complexo Aché Cultural

Inf Busca Peças

Data
Preço

Este website armazena cookies no seu computador. Esses cookies são usados para melhorar sua experiência no site e fornecer serviços personalizados para você, tanto no website, quanto em outras mídias. Para saber mais sobre os cookies que usamos, consulte nossa Política de Privacidade

Não rastrearemos suas informações quando você visitar nosso site, porém, para cumprir suas preferências, precisaremos usar apenas um pequeno cookie, para que você não seja solicitado a tomar essa decisão novamente.