Teatro Não É Cultura

Teatro Não É Cultura

Em sua coluna de estreia, o ator, jornalista e dramaturgo Oswaldo Mendes, reflete a respeito da falta de conhecimento nos tempos atuais: “Por que pessoas respeitáveis sentem-se obrigadas a falar e opinar sobre assuntos dos quais não têm ideia?”

     Por Oswaldo Mendes (@oswaldomendesator)

Último encotro de Oswaldo Mendes, a direita, e Zé Celso, a esquerda, em agosto de 2022, no Teatro Paulo Autran – Sesc – Foto: Acervo Pessoal

Desolador o que se falou sobre Teatro na morte de Zé Celso, até em ditos canais progressistas do YouTube. Ao corajoso depoimento de Marcelo Drummond ao jornalista Mário Vítor, em “Forças do Brasil” no canal 247, contrapôs-se um festival de besteira, lugar-comum e desinformação sobre o teatro, sua história e sua gente.

Por que pessoas respeitáveis sentem-se obrigadas a falar e opinar sobre assuntos dos quais não têm ideia?

Um, ao ouvir Guarnieri, apressou-se a mostrar verniz de erudição perguntando “é o Camargo?”. Não sabia de um tal Gianfrancesco.

Já Procópio Ferreira fazia esquetes cômicas e foi pai de uma atriz interessante que cantava. Só faltou dizer que fazia standup.

Outro, diante do nome Flávio Rangel, não foi modesto na ignorância: “esse nem sei quem é”. Pra lembrar o nome de Sérgio Cardoso, que não por acaso é nome de teatro em São Paulo, foi um esforço constrangedor.

Se nem jornalistas e youtubers, militantes das urgentes causas nacionais, “influencers” (?), sabem o que aconteceu pelo menos nos palcos paulistas e cariocas na história recente, que esperança resta para o Teatro?

Está na hora de sair da frente das telinhas e descobrir que há vida aqui fora.

Porque, infelizmente, teatro exige olho no olho, cara a cara, presença física, enfim. Isso que vocês assistem em suas casas pode até parecer, mas não é teatro.

Pois é, meu caro Zé, como você sempre acreditou o Teatro continuará resistindo, mesmo que quebrem todas as paredes e todos os palcos. Porque é da sua natureza, é da natureza humana. Perseverar, apesar da ignorância, do caos e da escuridão.

Teatro não é cultura. É contracultura.

Buscar outras peças
Pesquisar Site Todo
Pesquisar Peças
Pesquisar Site Todo
Pesquisar Peças
Pesquisar Site Todo
Pesquisar Peças