Você está na cidade de:

OESTE VERDADEIRO

MÁRIO BORTOLOTTO DIRIGE EMBATE DE DOIS IRMÃOS NA PEÇA OESTE VERDADEIRO.

Na segunda vez que dirige um texto do vencedor do Prêmio Pulitzer – o americano Sam Shepard (a primeira foi Criança Enterrada em 2016), Mário Bortolotto volta a atuar. Oeste Verdadeiro foi encenada nos circuitos Broadway e Off-Broadway nos anos 1980 com os atores Gary Sinise e John Malkovich

Com uma trama que se passa nos tempos contemporâneos das terras áridas do oeste americano, Mário Bortolotto se encontra mais uma vez com uma obra do autor Sam Shepard (1943-2017). Oeste Verdadeiro (True West) faz uma curta temporada de 3 a 12 de março no Teatro Cemitério de Automóveis. As sessões são sempre de sexta e sábado, às 21h, e domingo, às 20h. Com tradução de Ana Hartmann, a montagem tem direção de Mário Bortolotto, que sobe ao palco ao lado dos atores Carcarah, Mara Faustino e Walter Figueiredo. Essa é uma remontagem da produção que estreou em 2017, onde Sérgio Guizé fazia parte do elenco e foi indicado ao Prêmio Shell.

O espetáculo conta a história do reencontro depois de anos dos irmãos Austin (Carcarah), bem-sucedido, que vive uma vida confortável como roteirista de cinema e TV, e Lee (Mário Bortolotto), um outsider, selvagem, que passa grande parte de seu tempo no deserto e se sustenta por meio de roubos. Depois de um longo período de ausência, Lee aparece na casa de sua mãe (Mara Faustino), mas encontra Austin, que está lá para cuidar da casa enquanto a mãe viaja, e para tentar vender seu novo projeto ao produtor de Hollywood Saul Kimmer (Walter Figueiredo).

Provocados por uma mistura de aversão e inveja, os dois irmãos se confrontam quase ao ponto da morte. A trama da peça se passa na cozinha da casa da mãe, 40 milhas a leste de Los Angeles. O oeste americano foi um lugar de oportunidades de liberdade e aventuras. Mas agora, este mesmo ambiente e estas possibilidades são ilusórios. O novo Oeste mantém a ameaça do velho Oeste, mas pouco do seu potencial para o heroísmo. Os protagonistas neste território hoje pavimentado, mas ainda selvagem, são dois irmãos reminiscentes de Caim e Abel.

Austin representa a possibilidade de prosperidade do Oeste. Quando a peça inicia, fica claro que ele está vivendo a quintessência do sonho californiano-americano. Ele é um roteirista bem-sucedido, com esposa e filhos. Vive uma vida confortável, com poucas aventuras. Lee, ao contrário, simboliza a liberdade e o lado selvagem do Oeste. Ele é um espírito livre que vem e vai ao seu bel-prazer, sem se prender a nada nem a ninguém.

O cenário e o figurino são realistas como o próprio Shepard faz questão de frisar, algo que os cenógrafos Mariko e Seiji Ogawa seguiram à risca. O diretor ressaltou como teve contato com o universo dos protagonistas. “É uma peça que trata sobre um oeste mítico que só existe na cabeça do personagem. Um dos irmãos inclusive em dado momento deixa claro que para ele esse “Oeste” está morto. Eles estão tentando elaborar um roteiro cinematográfico que é na verdade um far west desses que eu assistia nas matinês de cinemas de Londrina onde cresci. Sempre fui um fã do gênero de qualquer maneira. Meu pai gostava muito de far west e era algo que tínhamos em comum. Lembro que ele sempre ficava assistindo far west na televisão à noite e esses eram alguns dos raros momentos que a gente compartilhava algo que gostávamos”.

Oeste Verdadeiro tem uma trajetória de destaque nos circuitos Broadway e Off-Broadway nos anos 1980 com os atores Gary Sinise e John Malkovich, e arrancou elogios da crítica por seu humor irreverente e não convencional, sendo definida como um dos melhores trabalhos de Sam Shepard.

A peça foi trazida para Nova York e contava com os atores Tommy Lee Jones e Peter Boyle nos papéis de Austin e Lee. Em Chicago, liderada e representada pelos atores Gary Sinise e John Malkovich, a montagem se consolidou na crítica americana, esgotou os ingressos para uma temporada de seis semanas, em seguida, cumpriu mais doze semanas em um teatro maior, mais comercial da cidade, sendo posteriormente inserida no circuito Off-Broadway, novamente em Nova York. No Brasil, foi dirigida em 1996 por Marco Ricca.

Bortolotto sempre teve um diálogo próximo com o trabalho do dramaturgo americano. Leu Oeste Verdadeiro em um livro com quatro peças de Sam Shepard que saiu no Brasil em 1994, inclusive assistiu a versão da montagem de Ricca. Já conhecia o texto Loucos de Amor e assistiu a montagem que Babenco fez em 88 no Teatro Mars. Dirigiu Criança Enterrada em 2016 com o elenco formado por Ana Hartmann, Carcarah, Dida Camero, Nelson Peres, Paulo Cesar Peréio, Thiago Pinheiro e Walter Figueiredo.

MÁRIO BORTOLOTTO
Autor, diretor e Ator. Trabalhou com Fauzi Arap nas peças: Kerouac, Frida e Santidade, sendo indicado ao Prêmio Shell de Melhor Ator. Dirigiu Noturnos de Jon Fosse, Garotas da Quadra de Rebecca Prichard, Tape de Stephen Belber, Killer Joe de Tracy Letts, Criança Enterrada de Sam Shepard e mais de 50 peças de sua autoria. No cinema, atuou em Balaio e Enjaulados de Luiz Montes, recebendo o Prêmio de Melhor Ator em BH, Meninos de Ki-Chute de Lucas Amberg, Augustas de Francisco César Filho, Espiritualidade na Tv Cultura, direção de Lírio Ferreira e A Teia, de Bráulio Mantovani, na Rede Globo. Dirigiu Billy, a Garota, na Cultura. Ganhou também o Prêmio de Melhor Ator no XX Festival de Cinema Luso-Brasileiro 2016 pelo filme Borrasca, com direção de Francisco Garcia. Co escreveu o roteiro de Meu Mundo em Perigo, de José Belmonte. Em 2000, recebeu o prêmio APCA pelo conjunto da obra e o Prêmio Shell de Melhor Autor.

CARCARAH
É ator, produtor e ilustrador. Há 6 anos integra o grupo de teatro Cemitério de Automóveis, onde participou das peças: Curta Passagem (2009), Música para Ninar Dinossauros (2010), Post-cards do Atacama (2010), Deve Ser do Caralho o Carnaval em Bonifácio (2011), Quartos de Hotel (2012), Borrasca (2013), Ovelhas que Voam se Perdem no Céu (2014) e Dentes Guardados (2014), todas sob a direção de Mário Bortolotto. Atuou também na peça Hotel Lancaster (2012), com direção de Marcos Loureiro e Pornô Falcatrua (2014), com direção de Gustavo Machado. Produziu e atuou na peça Killer Joe (2014/2015) e na peça Criança Enterrada (2016). No cinema, participou como ator do média-metragem Fogo Fácil (2012), de Rafael Coutinho; entre diversos curtas. Como produtor, iniciou sua trajetória com a bem-sucedida montagem de Killer Joe, que cumpriu três temporadas bem-sucedidas em São Paulo e uma no Rio de Janeiro, no Teatro Poeira. Também produziu as peças O Canal e Criança Enterrada.

FICHA TÉCNICA:

Texto: Sam Shepard. Tradução: Ana Hartmann.
Direção Artística: Mário Bortolotto.
Elenco: Mário Bortolotto, Carcarah, Mara Faustino e Walter Figueiredo.
Cenografia: Mariko e Seiji Ogawa.
Figurino: Grupo Cemitério de Automóveis.
Iluminação: Caetano Vilela.
Trilha: Mário Bortolotto.
Fotos: João Caldas.
Programação Visual: André Kitagawa.
Assistente de direção: Peterson Queiroz.
Operação técnica: Isabela Bortolotto e Pablo Perosa.
Produção: Isabela Bortolotto e Paula Klaus.
Assessoria de Imprensa: Nossa Senhora da Pauta.

Venda direito na bilheteria do teatro sempre 1 hora antes do espetáculo.

 

Texto disponibilizado pela produção do espetáculo.

 

Detalhes da peça

Status

Encerrada

Temporada

De 23/20/0303 até 12/03/2023

Dias

sex 21h,sáb 21h, dom 20h

Duração

60 minutos

Valor

R$40 (inteira) e R$20 (meia)

Região

Centro / São Paulo

Teatro / Espaço

Teatro Cemitério de Automóveis
Rua Francisca Miquelina, 155, Bela Vista, São Paulo/SP - 01316000

Estacionamento

Nas redondezas

Cafeteria

Sim

Telefone

(11) 97794-6072

E-mail

teatrocemiteriodeautomoveis@gmail.com

14

Classificação indicativa

Não apropriado para menores de 14 anos

Galeria de fotos
Compartilhar em

Você pode se interessar

BRIAN OU BRENDA?

Baseada em um episódio conhecido como um dos mais trágicos da psiquiatria, a peça conta a história de Brian. Depois de uma operação malsucedida logo após o nascimento, em que seu pênis é cauterizado, ele é submetido a uma redesignação sexual e passa a ser educado como menina: Brenda. A imposição de crescer em um corpo que não é seu, no entanto, afeta a sua própria vida e a de todos ao seu redor.

de 03/05/2024 a 26/05/202480 minà partir de R$ 20Últimos Dias
  • Sexta20h
  • Sábado20h
  • Domingo19h
Teatro Itália Bandeirantes

INVISÍVEL

Eduardo vive um relacionamento abusivo com seu namorado Michel. A situação se agrava ainda mais quando decidem morar juntos. Eduardo, por muito tempo, sofreu calado violência física e psicológica provocadas por seu parceiro até que um dia decide denunciar, levando o caso às autoridades. O descaso e o preconceito, vindos de quem deveria protegê-lo, cria uma barreira, ainda maior, entre o grito de socorro e o medo de se expor. A violência, então, persiste fazendo com que Eduardo sobreviva a uma estatística, normalmente atribuída apenas às mulheres.

de 08/05/2024 a 06/06/202465 minà partir de R$ 50Em cartaz
  • Quarta20h
  • Quinta20h
  • Quarta20h
  • Quinta20h
Teatro Itália Bandeirantes

AINDA DÁ TEMPO

“AINDA DÁ TEMPO” traz uma reflexão divertida e instigante sobre a passagem do tempo e a importância do cuidado que os casais devem ter com o relacionamento, nas suas diferentes fases. A comédia começa com casal de meia idade e seu filho adolescente, que arrumam sua casa que está à venda, para receber compradores. Dois casais, em fases e objetivos distintos, chegam para a visitação e começam a compartilhar as experiências e os desafios que enfrentam em seus relacionamentos. As afinidades entre os gêneros vão se tornando evidentes até que sinais estranhos e misteriosos surgem, o que os leva a uma descoberta surpreendente. Tal situação desperta os casais a questionarem sobre como, no presente, lidam com o seu passado e o que desejam fazer pelo seu futuro.

de 05/04/2024 a 02/06/202480 minà partir de R$ 70Em cartaz
  • Sexta20h
  • Sábado20h
  • Domingo20h
Teatro Uol

Inf Busca Peças

Data
Preço

Este website armazena cookies no seu computador. Esses cookies são usados para melhorar sua experiência no site e fornecer serviços personalizados para você, tanto no website, quanto em outras mídias. Para saber mais sobre os cookies que usamos, consulte nossa Política de Privacidade

Não rastrearemos suas informações quando você visitar nosso site, porém, para cumprir suas preferências, precisaremos usar apenas um pequeno cookie, para que você não seja solicitado a tomar essa decisão novamente.