Você está na cidade de:

QUANDO O DISCURSO AUTORIZA A BARBÁRIE

Quando o Discurso Autoriza a Barbárie faz temporada em outubro na sede da Companhia de Teatro Heliópolis

Quando o discurso autoriza a barbárie desvela, em cena, muito desse conjunto de visualidades e enunciados que sustenta a violência estatal e institucional no Brasil contemporâneo. Ao radicalizar a pesquisa ético-estética desenvolvida nos últimos anos, a Companhia de Teatro Heliópolis aposta numa encenação híbrida, apoiada no desdobramento de imagens-síntese, em que os corpos das atrizes e dos atores em diálogo com o próprio espaço cênico e suas materialidades compõem o eixo dramatúrgico principal. E assim põe em xeque a organização lógica de eventos que compõem a história oficial do Brasil.

Ficha Técnica:

Concepção e encenação: Miguel Rocha.
Provocação dramatúrgica: Alexandre Mate.
Provocação cênica e texto para programa: Maria Fernanda Vomero.
Elenco: Álex Mendes, Anderson Sales, Dalma Régia, Davi Guimarães, Fernanda Faran, Isabelle Rocha e Walmir Bess.
Direção de movimento e estudo da Ideokinesis: Érika Moura.
Direção musical: Peri Pane.
Trilha sonora: Peri Pane e Otávio Ortega.
Músicos (ao vivo): Alisson Amador e Jennifer Cardoso.
Iluminação: Guilherme Bonfanti.
Assistência de iluminação: Giorgia Tolaini.
Cenografia: Eliseu Weide.
Figurino: Samara Costa.
Assistência de figurino: Paula Knop.
Preparação vocal: Bel Borges e Edileuza Ribeiro.
Dança: Sayô Pereira e Flávia Scheye.
Organização de roteiro e edição de vídeo: Gabriel Fausztino.
Animação: Teidy Nakao.
Sonoplastia e operação de som: Lucas Bressanin.
Operação de luz: Nicholas Matheus.
Operação de vídeo: Allysson do Nascimento.
Canções originais: “Invento” (Eunice Arruda e Peri Pane), “Canto da Partida” (Lucina e Peri Pane), “Liquidação Total” (Peri Pane), “Sobre os Ossos” (Marion Hesser e Peri Pane), “Coro” (Edileuza Ribeiro). Participações: Catarina Nimbopy’rua, Edileuza Ribeiro e Tata Orokzala.
Estúdio / gravação de trilha: Estúdio 100 Grilos, por Otávio Ortega.
Assessoria de imprensa: Verbena Comunicação.
Assessoria Jurídica: Martha Macrus de Sá.
Fotografia: Rick Barneschi.
Direção de produção: Dalma Régia.
Idealização e produção: Companhia de Teatro Heliópolis.
Realização: Secretaria de Cultura, Economia e Indústria Criativas do Governo do Estado de São Paulo.

Detalhes da peça

Status

Encerrada

Temporada

De 19/10/2023 até 29/10/2023

Dias

qui a sáb 20h, dom 19h

Duração

90 minutos

Valor

Gratuito

Região

São Paulo /

Teatro / Espaço

Casa de Teatro Maria José de Carvalho - Sede da Companhia de Teatro Heliópolis
Rua Silva Bueno, 1533, Ipiranga, São Paulo/SP - 04208051

Estacionamento

Cafeteria

Não

Telefone

(11) 2060-0318

E-mail

producao.cth.c@gmail.com

16

Classificação indicativa

Não apropriado para menores de 16 anos

Galeria de fotos
Fotos por Tiggaz
Compartilhar em

Você pode se interessar

ERA UMA VEZ…A CIGARRA E A FORMIGA

“A Cigarra e a Formiga” conta a história de uma cigarra que é uma artista e enfrenta as dificuldades para seguir seu caminho na arte, por imposições da família e da sociedade. Sua profissão reúne algumas peculiaridades que muitas vezes não são compreendidas, nem por ela mesma. Para se situar no mundo, ela procura uma oportunidade convencional de trabalho, no escritório do Sr. Tião Formiga Saúva. O que ela não esperava é que seria desse encontro inesperado que sua carreira artística iria realmente mudar. A história cativa o espectador, além de provocar uma reflexão sobre estigmas da nossa sociedade.

de 03/07/2024 a 24/07/202450 minà partir de R$ 40Em breve
  • Quarta15h
Teatro Uol

NÃO DEIXE QUE ELES PERCEBAM

O amanhã nunca chega, o hoje é cheio de incertezas, e o ontem já ficou para trás. Nessa comédia do absurdo a trama gira em torno de "A" e "B", uma dupla de vendedores de uma loja de departamentos. Estas duas personagens enfrentam uma trama de mistério e muita confusão, na qual não se sabe quem os observa. Presos neste ciclo sistêmico que insisti em se repetir, ambos revivem seus medos e inseguranças, entre trancos e barrancos. A maior preocupação deles é evitar chamar a atenção de quem os observa. Caso contrário, virarão ontem e tudo estará perdido.

de 14/06/2024 a 28/06/202450 minà partir de R$ 35Em cartaz
  • Sexta20h
EPC - Espaço de Provocação Cultural

BICHA OCA

Bicha Oca, é uma peça de conteúdo gay, produzida na cidade de São Paulo em 2009, e elaborada a partir de contos homoeróticos do autor pernambucano Marcelino Freire, e traz a cena Seu Alceu, um homossexual envelhecido que ao revisitar seu passado e suas histórias, nos permite mergulhar numa crítica sobre os hábitos dos homossexuais, expondo sem concessões um mundo solitário, cruel e assustador da velhice gay e seu diálogo com as questões amorosas e sexuais.

de 13/05/2024 a 28/06/202460 minà partir de R$ 25Em cartaz
  • Segunda21h
Espaço Extranho

Inf Busca Peças

Data
Preço

Este website armazena cookies no seu computador. Esses cookies são usados para melhorar sua experiência no site e fornecer serviços personalizados para você, tanto no website, quanto em outras mídias. Para saber mais sobre os cookies que usamos, consulte nossa Política de Privacidade

Não rastrearemos suas informações quando você visitar nosso site, porém, para cumprir suas preferências, precisaremos usar apenas um pequeno cookie, para que você não seja solicitado a tomar essa decisão novamente.